Make your own free website on Tripod.com
Voltar INÍCIO LITERATURA ACTUALIDADE EDUCAÇÃO INFORMÁTICA ARQUIVO MEMÓRIA MAPA

 

Kosovo

 

MAPA DOS BALCÃS

 

O Kosovo é uma região do sul da Sérvia com características específicas.

Tem uma área de 10.887 Km2 de terreno muito montanhoso. O ponto mais alto ultrapassa os 2.300 m. Segundo dados de 1991, a sua população ultrapassava ligeiramente os 2.000.000 de habitantes, sendo cerca de 1.800.000 de etnia albanesa. Os restantes 200.000 são maioritariamente sérvios e montenegrinos. A capital é Pristina e a região tem fronteiras com o Montenegro e a Albânia, a leste, e com a Macedónia, a sul, além, naturalmente, da Sérvia, na qual está politicamente integrada.

A agricultura e pastorícia são as actividades económicas dominantes. Além de cereais (milho, trigo, cevada), produz batata, ameixas, vinho e tabaco. A pecuária assenta sobretudo sobre o gado bovino e ovino. Há também importantes depósitos de níquel, zinco e chumbo, além de outros minérios.

SITUAÇÃO POLÍTICA

Entre 1945 e 1990 constituiu uma região autónoma da república sérvia, tal como a Voivodina, no seio da Federação Jugoslava. A concessão de autonomia constituiu o reconhecimento da sua especificidade e enquadrou-se na estratégia de Tito para estabelecer um delicado equilíbrio entre as várias etnias e religiões no seio da federação.

Esse frágil equilíbrio começou a ceder a partir da morte do velho marechal e foi crescendo com as dificuldades económicas, que se acentuaram no final da década. Em 1889/1990 sentem-se claramente no Kosovo duas tendências opostas: a maioria albanesa mostra-se favorável à unificação com a Albânia, enquanto a população sérvia reclama total integração na república sérvia. O principal mentor dos nacionalistas sérvios é Slobodan Milosevic, na altura o chefe da ala radical do partido comunista sérvio. Tentando captar o apoio da população lança uma campanha populista contra a autonomia das regiões autónomas (Kosovo e Voivodina).

Em consequência desse extremar de posições eclodiram conflitos entre as duas comunidades o que deu o pretexto para a declaração do estado de emergência, em Fevereiro de 1990. Em Julho, o parlamento regional e o governo foram dissolvidos, e em Setembro, ao rever a sua constituição, a Sérvia pôs fim ao regime autonómico das duas regiões e anexou-as ao seu território. De imediato, acentuou-se a repressão sobre a população albanesa: os meios de comunicação de expressão albanesa foram suspensos e muitos alabneses afastados da indústria.

No ano seguinte, tentando tirar partido da situação confusa nos balcâs, os líderes albaneses tentaram reverter a situação, organizando um referendo sobre a questão da soberania, cujos resultados foram esmagadoramente favoráveis à separação da Sérvia. A maioria albanesa chegou a eleger um parlamento e um presidente, mas a conjuntura desfavorável não permitiu que o processo de secessão se completasse. Enquanto isto ocorria no Kosovo, a Eslovénia e a Croácia conseguiam sair da federação jugoslava em 1991, com o apoio da comunidade internacional, o mesmo acontecendo com a Macedónia e a Bósnia-Herzegovina, em 1992.

HISTÓRIA

Oa albaneses são considerados descendentes doa antigos ilírios, que habitavam aquela zona dos Balcãs desde 2000 a.C. Toda essa região foi depois integrada no império romano.

Entre os séculos VIII e XII o Kosovo constituiu o estado medieval de Raska. No final deste século a região foi anexada pelos sérvios e a cidade de Prizren chegou a ser capital dos sérvios. Começou nessa altura a instalação dos sérvios na região.

No final do século XIV (1389) o exército sérvio foi derrotado pelos turcos otomanos na batalha de Kosovo, abrindo caminho à conquista de toda a região pelos turcos, que estaria concluída em 1459. Nos séculos seguinte a região foi palco de numerosas revoltas contra o domínio turco, mas só no século XX (1912) os turcos foram obrigados a abandonar a região.

Nessa altura chegou a pensar-se na inclusão do Kosovo no nascente estado albanês, mas a pressão russa levou as potências europeias a dividir o território do Kosovo entre a Sérvia e o Montenegro. De facto, no final da guerra, em 1918, o Kosovo foi integrado no reino dos sérvios, croatas e eslovenos, que viria a ser designado mais tarde por Jugoslavia. A população albanesa opôs-se a essa decisão com rebeliões que foram violentamente reprimidas.

Para impor a sua autoridade o governo sérvio expulsou numerosos albaneses, encerrou escolas, confiscou terras e estimulou a emigração sérvia para a região.

Durante a segunda guerra mundial (1939-1945) a Albânia e o Kosovo foram ocupados pela Itália fascista. A associação à Albânia parece ter sido bem vista pelos albaneses do Kosovo, que, no final da guerra, resistiram à sua integração na Jugoslávia, mas o líder comunista Tito (Josip Broz) conseguiu dominar os rebeldes.

Ao Kosovo foi atribuído inicialmente o estatuto de região autónoma da república sérvia. Após os distúrbios de 1968 foi-lhe atribuído o estatuto de província autónoma. Essa autonomia foi-lhe retirada em 1989 por instigação de Milosevic.

Março.1999


Informação recolhida de:
Encarta 99 Encyclopedia
Hutchinson Multimedia Encyclopedia
Lexicoteca Moderna Enciclopédia Universal

Início