Make your own free website on Tripod.com
Voltar INÍCIO LITERATURA ACTUALIDADE EDUCAÇÃO INFORMÁTICA ARQUIVO MEMÓRIA MAPA

 

José Cardoso Pires

 

BIBLIOGRAFIA

 

Imagem de José Cardoso Pires José Cardoso Pires nasceu em S. João do Peso, Castelo Branco, em 2/10/1925. Ainda na infância a família mudou-se para Lisboa. Frequentou o Liceu Camões e o Curso de Matemáticas Superiores, na Faculdade de Ciências de Lisboa, que não chegou a concluir. Nessa fase, colaborou no jornal 'O Globo' e na revista 'Afinidades' do Instituto Francês de Lisboa.

Em 1945 alistou-se na marinha mercante como praticante de piloto. Numa viagem a bordo do navio Niassa foi acusado de indisciplina, detido, e posteriormente expulso.

Em 1949 começou a trabalhar como redactor na revista 'Eva', onde chegou a ser chefe de redacção. Por essa altura faz uma incursão no mundo editorial, fundando com Victor Palla a colecção de bolso 'Os Livros das Três Abelhas'; em 1954, outra incursão nessa área, dirigindo as Edições Artísticas Fólio. Foi também responsável pela colecção 'Teatro de Vanguarda', que publicou em Portugal alguns autores estrangeiros contemporâneos, como Beckett, Faulkner e Maiakovski.

Em 1959 fez um estágio na revista 'Época', em Milão. Logo a seguir integra a redacção da revista 'Almanaque'. Por volta de 1960/61 vive exilado algum tempo em Paris e no Brasil e ao regressar, em 1961, retoma a direcção da revista 'Almanaque'. Nesse mesmo ano fez parte da direcção da Sociedade Portuguesa de Escritores, sob a presidência de Jaime Cortesão.

Em 1963 é um dos delegados portugueses num encontro clandestino de escritores peninsulares, em Barcelona. Em 1966 participa na constituição do núcleo português da Association Internationale pour la Liberté de la Culture. Fundou e dirigiu o suplemento '& etc.' do Jornal do Fundão 1967); no ano seguinte coordenou o 'Suplemento Literário' do Diário de Lisboa, e depois, no mesmo jornal, o suplemento 'A Mosca'.

Entre 1969 e 1971 lecciona em Londres, no King's College, um curso de Literatura Portuguesa e Brasileira. Em 1974 ocupa o lugar de director-adjunto do 'Diário de Lisboa' e anos depois (1978/79) volta a Londres como 'resident writer' da universidade.

Ao longo da sua carreira literária de mais de cinquenta anos, foi distinguido várias vezes: Prémio Camilo Castelo Branco, atribuído à obra 'O Hóspede de Job' (1964); Grande Prémio do Romance e Novela da Associação Portuguesa de Escritores, pelo romance 'Balada da Praia dos Cães' (1982); Prémio especial da Associação de Críticos de São Paulo (Brasil), por 'Alexandra Alpha' (1989); Prémio Internacional União latina (1991); Astrolábio de Ouro do Prémio Internacional Ultimo Novecento (Itália) (1992); Prémio Pessoa, Prémio D. Dinis da Fundação da Casa de Mateus e Prémio da Crítica da Associação Internacional de Críticos Literários (1997); Prémio Vida Literária da Associação Portuguesa de Escritores (1998)

Em 1995 sofreu um primeiro acidente vascular cerebral e, depois da longa recuperação, escreve 'De Profundis, Valsa Lente'.

Faleceu a 26 de Outubro de 1998, em Lisboa.


Bibliografia

Início


Copyright © 1998 Jorge Santos
Topo